Na avaliação da Celesc, esse é o maior dano para a rede elétrica já verificado no estado de Santa Catarina

CICLONE DEIXA MAIS DE 3,5 MILHÕES DE CONSUMIDORES SEM ENERGIA NO SUL

Um ciclone extratropical com tempestades e ventos de mais de 100 km/h atingiu a região Sul do país entre ontem (30) e a madrugada desta quarta-feira (01), provocando queda de energia em diversos pontos das áreas de concessão da Celesc, Copel e CEEE. Ao todo, 3,6 milhões consumidores ficaram sem luz, sendo 1,5 milhões em Santa Catarina, 1,2 milhões no Paraná e 900 mil no Rio Grande do Sul.

Na avaliação da concessionária catarinense, esse é o maior dano para a rede elétrica já verificado no estado, que foi totalmente afetado, inclusive com o rompimento dos cabos de fibra ótica da Oi, o que impossibilitou a recomposição automática do sistema e a comunicação das unidades consumidores com o call center. No momento, a única forma de comunicação dos clientes da concessionária é através do aplicativo.

De acordo com o boletim diário do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o fenômeno meteorológico caracterizado por queda acentuada da pressão em um curto período de tempo foi verificado entre às 11 horas e 18 horas da última terça (30), causando diversos desligamentos em equipamentos nas redes de transmissão e distribuição, com consequências na variação e interrupção energética em Santa Catarina, que chegou a ter a carga reduzida pela metade (2.000 MW) quando comparada ao dia anterior.

No Paraná, a redução chegou a 25%, cerca de 1.200 MW a partir da mesma base de relação. O ONS afirmou que as cargas estão sendo recompostas de forma gradativa, e que até às 06:30 horas de hoje seguem ainda interrompidas em aproximadamente 24% em SC e 10% no PR.

A Copel informou que suas equipes estiveram em campo por toda a noite e que seguem trabalhando num contingente de mais de 1000 eletricistas para manutenção dos estragos causados pelo “pior evento climático já enfrentado pela companhia”, e que afetou quase dois terços na região Leste do estado, que concentra 2.562 pontos a serem restaurados nas redes de energia, seguida pela região Oeste, com 1.610 ocorrências. A previsão de religação varia caso a caso, de acordo com a dimensão das avarias provocadas pelo temporal na localidade em questão e do tipo de manutenção requerida.

Já a CEEE realizou sua comunicação por meio do Twitter, afirmando que a estação meteorológica do aeroporto Salgado Filho, na capital gaúcha, aferiu ventos de 85,1 km/h entre 03h e 04h, mas que o efeito de afunilamento pelas construções e topografia tendem a acelerar o vendaval para outros pontos da cidade, com rajadas superiores.

Dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a força dos ventos chegou a 116 km/h em Santa Vitória do Palmar no início da madrugada, a 97,6 km/h entre 03h e 04h em Pelotas e a 95,8 km/h entre 06h e 07h na praia de Tramandaí.