Pró-Sol vai além da renovação dos incentivos para a instalação de placas solares

GOVERNO VAI LANÇAR PROGRAMA DE INCENTIVO À ENERGIA SOLAR

O governo brasileiro está desenvolvendo uma política de incentivos ao uso da energia solar. Nomeado de Pró-Sol em alusão ao pré-sal, o programa vai além da renovação dos incentivos para a instalação de placas solar. Ele vem sendo apresentado para as empresas que investem no setor de energia solar e está previsto para ser anunciado nos próximos meses. 

Segundo o presidente Jair Bolsonaro, a ideia é também mostrar aos países internacionais que o Brasil tem condições de avançar neste segmento para ter uma matriz energética mais limpa e, desta forma, combater a emergência climática. A situação ficou tensa depois das discussões que aconteceram durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, em relação à preservação da Amazônia.

A energia solar é uma energia elétrica não apenas limpa e renovável, mas também cada vez mais competitiva, ampliando a diversificação do suprimento elétrico do país, que hoje dependente de hidrelétricas e termelétricas fósseis. Especialistas do setor indicam que isso contribui para o alívio de nossos reservatórios hídricos e reduz a pressão para outros usos estratégicos, como suprimento humano, agricultura, irrigação e processos industriais. Além disso, garante a redução do acionamento de termelétricas fósseis, mais caras e poluentes, ajudando na diminuição de custos aos consumidores e na mitigação dos impactos do aquecimento global.

A fonte solar já apresenta um dos preços mais competitivos para a geração de energia limpa e renovável no mercado elétrico brasileiro, além de promover o alívio financeiro das famílias e o aumento da competitividade do setor produtivo no país.

Nos próximos cinco anos, os projetos de energia solar fotovoltaica já contratados pelo governo federal deverão movimentar R$ 9,5 bilhões em investimentos.