FUNDAÇÃO ORIENTA COMO ECONOMIZAR ENERGIA NESSE PERÍODO DE PANDEMIA


Também é importante adquirir novos hábitos para manter a produtividade no trabalho e conter o avanço da doença

Devido à pandemia do Corona vírus, empresas e órgãos públicos passaram a adotar o sistema de home office para seus funcionários. Por isso, é importante adquirir novos hábitos para manter a produtividade no trabalho e conter o avanço da doença. 

Para reduzir a circulação de pessoas pelas cidades, muitos colaboradores passaram a trabalhar de casa, acompanhados de crianças, que foram dispensadas das escolares, e idosos, este último classificado como grupo de risco para contrair a doença. Devido a esse cenário, a rotina das residências mudou e um dos principais impactos é relacionado ao uso da energia. Com uma maior utilização de equipamentos elétricos e iluminação artificial, a tendência é subir o valor da conta de luz. Para os moradores do estado do Rio de Janeiro, o aumento pode ser pior, já que, desde o último dia 15, estão em vigor as novas tarifas das concessionárias de energia do estado, aprovadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Os consumidores residenciais atendidos pela Enel Distribuição Rio tiveram um reajuste de 2,48%. Já na área de concessão da Light, o aumento foi de 5,98%.

Nesse período de quarentena, os aparelhos de TV, computadores, tablets, smartphones, condicionadores de ar, ventiladores e refrigeradores devem ser os mais usados por quem vai permanecer trabalhando de casa. Especialistas em eficiência energética dizem que aparelhos de ar-condicionado e refrigeradores devem representar o maior impacto no valor das faturas de energia elétrica entre os trabalhadores que estarão em home office. 

Algumas sugestões: 

Ar condicionado:

Pode ser substituído pelo o uso do ventilador, já que  as temperaturas no outono devem ser mais amenas em relação ao verão. Este também o momento de realizar a limpeza do filtro do condicionador de ar. Nos casos de não utilizar o aparelho por um longo tempo, é interessante desconectá-lo da tomada para que não haja o consumo de energia do modo stand-by desnecessariamente. Com a nova estação chegando, vale a pena avaliar também se o ajuste de temperatura do refrigerador pode ser alterado, pois os dias serão menos quentes. 

Aparelhos eletroeletrônicos:

A dica geral é evitar deixar o equipamento ligado na função stand by, já que mesmo sem funcionar, o aparelho continua consumindo energia. Quem possui uma smart TV também pode acionar o modo economia de energia. Nessa função, de acordo com a marca do aparelho, a redução do consumo de energia pode ser de até 30%. 

No caso de computadores, notebooks, tablets e celulares, a função economia de energia também é uma boa medida. Para os computadores, outra recomendação é desligar o monitor quando for deixá-lo inativo por mais de 10 minutos. Tirar o equipamento da tomada quando não for utilizar também pode representar ganhos em eficiência energética. Valorizar a iluminação natural e as lâmpadas de LED também pode contribuir para o menor consumo de energia na residência.

Além da economia de energia, esse momento também exige cuidados adicionais com a saúde. A médica Fernanda Motta, especialista em clínica médica e atenção básica, orienta que quem for trabalhar em casa deve priorizar a ventilação do ambiente para evitar que os moradores contraiam outras infecções respiratórias típicas do período de outono e inverno. 

“Para economizar energia e manter a boa saúde é manter os ambientes bem arejados. A ventilação natural traz conforto térmico. Uma circulação permanente de ar numa casa com várias pessoas evita que moradores com histórico de problemas respiratórios, como asma, bronquite e outras alergias respiratórias, passem por crises nesse momento em que todo o sistema de saúde estará focado para o tratamento dos infectados com a Covid-19”, ressaltou. 

A médica lembrou que em estados como Minas Gerais, São Paulo, Brasília, além da região Centro Oeste, onde o outono e o inverno são marcados pelo clima seco, o ideal é que sejam instalados umidificadores de ar nos ambientes compartilhados, pois o ar mais úmido ajuda a evitar crises respiratórias. Já em regiões em que o ar-condicionado ainda for utilizado, a limpeza dos filtros deve ser intensificada. 

Outra dica é em relação aos aparelhos de trabalho que são compartilhados, como telefones e computadores. Ela recomenda a higienização permanente desses equipamentos, principalmente dos telefones, já que eles ficam em contato com as mãos e próximos da boca. 

E lembre-se: a limpeza das mãos e dos ambientes deve ser uma prioridade. Mantendo todos os cuidados recomendados pelas autoridades de saúde, você vai conseguir se proteger e cuidar bem de toda a sua família, principalmente dos idosos.